quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

Por que se “engorda” e é tão difícil para muitos reduzir gordura corporal?


Para responder à essa pergunta, voltarei às origens do acúmulo de adiposidade, ou seja, quais as possíveis causas para a pessoa “engordar”...

Muito ainda se fala, erroneamente, diga-se de passagem, que a gordura é o principal vilão da dieta, devido ao seu alto teor calórico...

Isso é uma grande besteira!

Quando ingerimos alimentos com muita gordura, o estômago, que também digere gordura (pouco, 15% da capacidade biliar), terá que trabalhar... E mesmo que já tenha digerido a parte que lhe cabe (lembro que é pouca), não poderá liberar rapidamente tuda a gordura para o intestino, afinal de contas, a vesícula biliar não terá capacidade para liberar tanta bile assim, para digerir essa gordura. Resumindo: digerir e absorver gordura demanda tempo, dando então sensação de saciedade, processo esse que pode demorar algumas horas...

Já a proteína é o nutriente que mais depende do estômago para ser digerido, então, é o que permanece mais tempo no estômago para ser digerida, logo, os alimentos ricos em proteínas são aqueles que “sustentam mais, matam a fome”...

Agora, e o carboidrato? Não precisa do estômago para ser digerido! Resultado: assim que chegam ao estômago, os alimentos ricos em carboidratos já saem rapidinho...

E o que isso implica, em questão de saciedade? Nada. Comer carboidrato definitivamente é modo mais rápido e fácil de ganhar quilos e quilos de gordura corporal.

E quais são os alimentos mais presentes nas refeições das pessoas? “Pãozinho, bolachinha, torradinha light, arroz branco, macarrão”... Justamente aqueles que mais tem carboidratos, e que engordam...

Ninguém "enche a pança" diariamente de ovo e carne, é só os "lixos" citados acima...

Então, se é para restringir carboidratos, essa restrição tem que ser programada e calculada, se seu limite é “X” gramas de carboidratos, nem queira ingerir mais do que o estipulado, porque daí complica para o objetivo ser alcançado...

Então, dieta para eliminação de gordura corporal PRECISA ser restrita em carboidratos, RICA em proteínas e gorduras, com valor calórico e gramas  calculados, assim como um bom teor de fibras, para dar bastante saciedade. Logo, é indispensável o apoio de um profissional nutricionista, que elaborará um Plano Alimentar adequado...

E se leva-se 5 anos para ganhar o peso, como pode-se esperar reduzi-lo em 3 meses??? É pouquíssimo tempo para o organismo se adaptar...

Agora, creio que muitas mudanças no padrão alimentar ocorreram por causa da mídia, que só fala em calorias em vez de nutriente... É raro falarem de vitamina E, sendo o Amendoim uma boa fonte dessa vitamina. Há quanto tempo não comes esse alimento? Porque é calórico?

Desejo que alguém muito inteligente algum dia me diga de onde o corpo tira os nutrientes (vitaminas, minerais, ácidos graxos, aminoácidos, fitoquímicos) para ser saudável... Deve ser do sol ou da lua, quem sabe até da água?

É, porque de comida de verdade não pode, né, porque é calórico? Pensamento ultrapassado...

Olhem o quadro abaixo, a concentração de nutrientes no amendoim (exemplo que estou usando para retratar alimentos que deixaram de ser consumidos por serem muito calóricos).







Olhem que beleza, tem bem menos carboidrato do que proteína, maravilha para dieta com restrição de carboidrato (sim, amendoim para quem quer emagrecer)!!!

Como falei em vitamina E, olhem o teor dessa vitamina (50% da necessidade diária em 100g de amendoim)... 

Potássio então, muito mais rico do que a banana (alimento que muitos comem para evitar cãibras, pensando no potássio, quando deveriam pensar em magnésio).

Então, repense suas atitudes relacionadas com dieta, e se for possível, consulte um nutricionista para elaborar um plano alimentar específico para você...

No entanto, se esse profissional disser que deve-se evitar amendoim porque é calórico, trate de sair correndo do consultório, certo???

domingo, 18 de novembro de 2012

Suplementação nutricional na prática esportiva


Ouço todas as semanas nas academias as pessoas conversando sobre suas experiências em dietas e suplementações nutricionais...

E algumas constatações me deixam surpreso, como o fato de que a maioria dos indivíduos acreditam que os suplementos são “mágicos”...

O que mais escuto daqueles que buscam hipertrofia muscular (ganhar massa muscular) quando estão “travados” e não estão ganhando massa é: “não estou ganhando porque não estou ingerindo suplemento”.

Caramba! Como se o fator mais importante para a hipertrofia muscular fosse o suplemento...

Que suplementos os fisiculturistas da década de 70 tinham à disposição? Que eu saiba, nenhum, mas nem por isso eram "menores" do que os atuais... Já pensou nisso?

Daí pergunto como é o Desjejum (café-da-manhã) e/ou as refeições pré-treino e pós-treino, então a casa cai...

Digo isso, porque o treino mais puxado do mundo jamais dará resultado se a dieta for insuficiente em número de calorias... Hipertrofia com restrição calórica definitivamente não combinam...

Analisando essas refeições, já é possível ter uma noção de que esse indivíduo está catabolizando (deixando de ganhar) ou anabolizando (ganhando). Se nessas refeições ingere-se poucas calorias, não adianta compensar em uma refeição, como almoço, por exemplo, pois em vez de ajudar, vai atrapalhar, pois vai diminuir a velocidade que o corpo processa os nutrientes (metabolismo)...

Dessa forma, uma dieta insuficiente, vai fornecer, no máximo possível, 30kcal/kg de peso, o que não serve para ter hipertrofia muscular, pois essa recomendação é para manutenção de peso, então deve-se ingerir pelo menos 40kcal/kg de peso, que dá 2800kcal para quem pesa 70kg...

Quanto àqueles que visam eliminar os quilos extras de gordura corporal (principalmente abdominal), muitos deles pensam que o termogênico é a chave para o sucesso do “emagrecimento”...

Raciocinem comigo: se o corpo precisa de 1500 calorias por dia só para se manter vivo, faz sentido querer correr e correr na esteira 30 minutos por dia (que dá um gasto de no máximo 300 calorias)? Perceba, em 30 minutos ao máximo, gasta-se só 1/5 da Taxa Metabólica Basal (no caso, 1500)...

E quando a pessoa ganha músculo, esse 1500 vai subindo, 1600, 1700.. Maravilha, quanto mais melhor... 

Agora, em uma dieta equilibrada, ajustada por um profissional nutricionista, realmente capacitado, o termogênico PODE (perceba, não é DEVE) colaborar...

Então, nada de comprar algo que você não conhece o impacto no organismo, certo?

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Hipotireoidismo, segundo a Nutrição Funcional


Hipotireoidismo é entendido, à grosso modo, como um metabolismo lento, onde a tireóide da pessoa não fabrica hormônios em quantidade suficiente, o que leva à dificuldade para reduzir peso...

Porém, muitas vezes, falta matéria-prima para essa glândula funcionar, que são os nutrientes, e utilizar a forma de raciocínio da Nutrição Funcional produz resultados fantásticos...

Porque?

Para a tireóide produzir seus hormônios, são necessários Iodo, Ômega-3, Vitamina B2 e B3, L-Tirosina, Cálcio, Magnésio e Ferro.

Para conversão de T4 em T3 (forma ativa), Selênio e Zinco são indispensáveis.

Para o T3 se ligar no seu receptor, nas membranas celular e nuclear, que é onde ele age, é necessário que esta membrana esteja preparada, dependendo então de Zinco, Ômega-3, Vitamina A e Vitamina D, além de L-Carnitina e Ácido Lipóico.

Se a dieta não tem esses nutrientes, que foram todos sublinhados, como a tireóide de qualquer ser humano da face da Terra funcionará??? Esses nutrientes não vem do ar ou da água e entram em nosso corpo por osmose, ou quem sabe ao dizer “venham, nutrientes, ordeno que apareçam em meu corpo”, do nada...

Percebem a importância que tem uma boa dieta no funcionamento tireoidiano???

Quando ouvirem a ordem para “fechar a boca e parar de comer”, como ficará a tireóide, sem os nutrientes? Porque será que as pessoas que dizem ter hipotireoidismo apresentam dificuldade para eliminar gordura? Será que não é a tireóide que não está recebendo sua matéria-prima (nutrientes)???

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

E aí, como está sua dieta???

Essa é minha pergunta inicial, é através dela que mostro às pessoas parte da enorme complexidade que é a ciência da nutrição...

Antes de eu começar, devo lhe informar que gosto de chocar as pessoas, mostrar que seus ideais e paradigmas não são verdadeiros... Digo isso porque atendo e converso com pessoas que acreditam cegamente que suas dietas são nota 10... Geralmente, deixo-as com expressão facial que diz "Nossa, como eu estava errado(a)...".

Agora, voltando ao primeiro parágrafo, digo isso porque sempre que converso com as pessoas e faço a pergunta básica citada no título, logo ouço respostas como "bastante salada, frango grelhado, pouco arroz, um pouquinho de feijão...".

A nutrição é muito mais do que isso. Porque, se fosse só isso, os nutricionistas seriam todos "doidos", indo para a faculdade/universidade p/ aprender algo que todos já soubessem, comer muito "mato"...

A ciência da nutrição abrange muito mais do que uma "salada" básica no almoço...

Quer ver só????

Já que ouço muito falar em almoço, citarei alguns fatos relacionados à essa refeição;

As verduras e legumes que colocas em seu prato, você sabe a procedência? Está livre de agrotóxicos?

Adianta comer tomate diariamente, sendo que esse alimento recebe "um banho" de agrotóxicos  na agricultura??? Os próprios nutrientes desse tomate (especialmente a vitamina C e o fitonutriente Licopeno) serão usados para neutralizar e eliminar o agrotóxico do alimento ingerido. Sobrará algum Licopeno para proteger nosso organismo do extresse oxidativo? Não. O fígado, órgão que destoxifica (faz o corpo eliminar as toxinas), receberá esse fitonutriente para ajudá-lo a destoxificar? Não.


Precisamos de Ácido Fólico para facilitar o metabolismo da carne bovina (eliminação de homocisteína, proveniente do aminoácido metionina). Alface tem essa vitamina (B9)? Não. Tomate tem? Não.

Dei só dois exemplos, mas deu para perceber que o assunto é mais complexo do que parece, certo?

Agora, mudarei o foco para o Desjejum (popularmente conhecido como café-da-manhã), que é a refeição mais importante do dia, então, a pergunta mais adequada seria:

Como vai a qualidade do seu desjejum ???

É café-com-leite (desnatado, líquido ou pó, tanto faz) + 4 torradas integrais OU 1 fatia de pão "integral" (o termo certo é semi-integral) com margarina light? Ou é iogurte (péssima opção, pior até mesmo do que o leite) com granola?

Há muitas vitaminas e minerais nessas refeições? Não...

A questão é: sua dieta é rica em vitaminas, minerais, fibras, proteínas e gorduras boas?

Reflita sobre isso...

segunda-feira, 10 de setembro de 2012

O Princípio da Nutrição Funcional


Nessa minha primeira publicação, pretendo desmistificar assuntos que até então não acredito que você tenha parado para refletir a respeito...


Sempre procuro tratar meus clientes, que apresentam algum desequilíbrio em seu corpo (ex: diabetes), e não tratar doenças. Pareceu confuso minha afirmação? Vou explicar de outra maneira: investigo as causas do “problema” e elimino-as, consequentemente acabam os sintomas...


Vou dar alguns exemplos bem simples:


Se você não tem um sono tranquilo há 3 noites porque seu vizinho é barulhento, a solução não é tomar remédio para dormir, e sim dizer ao vizinho que pare de fazer barulho.


Da mesma forma, se uma pessoa tem flatulência (gases intestinais, o famoso “pum”), a solução não é usar remédio para diminuir os gases, mas sim eliminar a causa, ou seja, identificar o que está provocando os gases e retirá-lo. Nesse caso, pode haver uma hipocloridria (falta de Ácido Clorídrico no estômago, que digere proteínas), disbiose (desequilíbrio entre as bactérias patogênicas, ou "más", e os probióticos, as "boas") ou, ainda, hipocloridria + disbiose.


Se você tem Hipertensão Arterial Sistêmica (pressão alta), a solução não está no remédio, mas sim em adequar a ingestão de nutrientes reguladores da pressão arterial, como Potássio, Magnésio e Ômega-3, além de suplementos, como L-Arginina e Óleo de Alho. Porque, se o indivíduo ingere apenas 25% da necessidade desses nutrientes, como pode esperar que sua pressão esteja regularizada?


E outro exemplo: se alguém pisou em um prego e ainda está com ele no pé, a melhor solução para aliviar a dor (sintoma) é antinflamatório ou é retirar o prego do pé (causa)?  


Então, para resumir essa abordagem sobre tratar a causa e não o sintoma, enfatizo que os desequilíbrios (insônia, queda de cabelo, unhas fracas e amolecidas ou com manchas brancas, imunidade baixa, indisposição, infecções constantes) devem ser corrigidos através dos nutrientes...


Tudo no nosso corpo é nutriente: a tireóide precisa de Vitaminas A, D, B2, B3, Zinco, Cálcio, Ferro, Magnésio, Selênio. Se não ingerirmos estes nutrientes, adianta tomar remédio p/ controlar essa glândula? Não parece a resposta correta ingerir mais desses nutrientes citados?


Partindo desse preceito, a obesidade vem sendo à muito tempo “tratada” com uma dieta restrita em calorias (como se a única causa do ganho de peso fosse os exageros alimentares), conduta que não levará a solução do problema, senão era só indicar produtos alimentares diet/light e tomar coca-cola zero que pronto, resultado alcançado...


Para que um indivíduo obeso tenha seu peso readequado, são necessários interligar vários fatores da sua vida: quando tudo começou, como era seu padrão alimentar durante a vida, como o estresse lhe afetava, exames laboratoriais, enfim, realizar todo um rastreamento para evidenciar a causa... Tendo conhecimento da causa, corrigir  torna o retorno ao peso adequado muito mais fácil e prazeroso.

Para começar, focar em uma dieta hipocalórica não é a melhor solução porque o corpo diminui automaticamente a TMB (Taxa Metabólica Basal), as calorias que o corpo gasta em repouso, só para manter o funcionamento do organismo assim, se antes da "dieta" essa TMB era 1500kcal, vai reduzir para 1300kcal, mais ou menos. O que é péssimo!!!

Sem falar que nenhum ser vivo gosta de passar fome. Fome é igual a aumento de Cortisol, hormônio produzido pelas glândulas supra-renais, que, entre várias ações, aumenta os níveis de CPK (Creatina Kinase), que é um marcador de estresse oxidativo e que degrada massa muscular e induz a LIPOGÊNSE (formação e hipertrofia de adipócitos, as células de gordura). Uma dosagem de Cortisol (tanto salivar, quanto sérico, ou ainda de 24h), assim como de CPK pode ser interessante para saber se a degradação de massa muscular está exagerada.

Poxa, então, passar fome faz perder músculo e ganhar gordura... Quem gosta disso????

Todos nós temos uma história de vida, com inúmeros fatores influenciando nosso meio. O estresse, exposição à substâncias tóxicas, insônia, ingestão insuficiente de nutrientes essenciais (fibras, vitaminas, minerais, aminoácidos, ômegas 3 e 9), tudo isso afeta cada indivíduo de uma forma única...


Agora, sabe quais são as fontes desses nutrientes? Aqueles alimentos que muitas pessoas pensam que não devem comer, mas estão equivocadas, podem e devem comer:


Abacate, Amendoim, Azeite extra-virgem, Castanhas e Nozes, Ovo caipira...


Além de frutas, verduras, peixes como sardinha, entre outros alimentos...

Muitos deles bem calóricos, sim. Curiosidade: a "caloria" foi descoberta a menos de 100 anos, e nunca ouve tantas pessoas com excesso de peso. Adiantou alguma coisa descobrir a caloria? Porque? Se come pensando em calorias, não em vitaminas e minerais...