quinta-feira, 15 de agosto de 2013

Estudos epidemiológicos e Nutrição, uma grande farsa


No município X, em 2011 foram vendidas 2 mil motocicletas, sendo que 200 destas foram roubadas no mesmo ano... No ano seguinte, foram vendidas 3 mil motocicletas, mas houveram 500 roubos...

A manchete poderia ser: "a venda de motocicletas está associada com maior incidência de roubos de motocicletas..."

Qual é o maior fator de risco para que roubem a moto? Ter uma moto, oras bolas! Mas é o fato de vender a motocicleta que causa o roubo? Claro que não, isto é ridículo, inúmeros fatores estão envolvidos, tais como a despreocupação com a segurança da motocicleta (cadeados, alarme), ação de gangues, etc...


...


No município Y, em 2011 houveram 3 mil casamentos e 50 divórcios. No ano seguinte, houveram 3.500 casamentos e 100 divórcios...

A manchete epidemiológica poderia ser: "o crescimento do número de casamentos vem aumentado, mas está associado com aumento no número de divórcios..."

Qual é o maior fator de risco que implica em divórcio? Estar casado, oras bolas! Mas é o fato de se casar que provoca o divórcio? Ou são inúmeros fatores conjugais, tais como infidelidade, egoísmo, luxúria, falta de paciência, etc????????

...

Entendem o quão ridículos são estes estudos?

Veja esta manchete: Dieta hiperproteica e low-carb prejudica saude cardiaca da mulher.

Vejam o comentário de uma pessoa no próprio site:

Fabio Takeo
Esse é um estudo observacional não randomizado, é um trabalho que levanta hipóteses e não conclui nada. Infelizmente quando não é randomizado, o resultado pode ser devido à outros fatores como o estilo de vida. Será que aqueles consomem mais carne não são os que mais fumam e bebem?
27.06.2012



Aí está a resposta para este estudo, nem preciso comentar...

Essa regra também valem para estudos que falam bem de algum alimento, não pensem que não sou criterioso!

"Estudo espidemiológicos têm mostrado uma associação inversa entre a ingestão de brócolis e risco de câncer. Este efeito protetor está amplamento distribuído aos compostos fitoquímicos, que incluem vitaminas C e E, quercetina e kaempferol, carotenóides (betacaroteno e luteína) e glicosinolatos".

Claro, e quem consumia brócolis diariamente também praticava atividade física diariamente, não fumava, não ingeria bebida alcoólica, controlava o estresse, tinha um sono de qualidade...

Ué, mas então foi o brócolis, ou foi todo o estilo de vida??????????

Conseguem perceber como apenas parte do contexto é deixado evidente? Como há meia-verdade por trás de muita coisa?

Por mais que o brócolis realmente seja "tudo de bom", sozinho não faz nada, assim como "uma andorinha só não faz verão"...

Para algum estudo provar alguma coisa, teria que ser assim:

separar em dois grupos idênticos, ninguém sem fumar, sem beber, praticando atividade física diariamente, dormindo bem, controlando estresse...

Vamos ver se há diferença. Se houver, aí sim conclusões podem ser tiradas, do contrário, é "furada"...

Um comentário:

  1. Muito boa sua análise, é exatamente assim que se manipula os dados. Em uma sociedade onde o pensamento foi terceirizado para "especialistas" que aparecem na televisão nada é questionado por falta de capacidade da massa alienada. Apareceu na tv é verdade e ponto final.

    ResponderExcluir