domingo, 4 de agosto de 2013

Respeite o princípio da individualidade biológica

Há 6 bilhões de pessoas no planeta, todas diferentes, nenhuma é igual a outra, até mesmo gêmeos univitelinos podem apresentar pequenas diferenças em sua aparência física. Ora, como ninguém é igual, nenhuma vida é igual, são profissões, metas, desejos e angústias diferentes...

Sendo que há 6 bilhões de seres humanos diferentes, qualquer pergunta sobre Nutrição não pode ter sua resposta extrapolada para qualquer pessoa: se me perguntarem se o carboidrato é o vilão da dieta, se ter uma dieta sem carboidrato ou com uma quantidade muito baixa faz bem para qualquer pessoa, se a Insulina é um hormônio maléfico, se são necessários 2 litros de água diariamente, se precisamos comer a cada 3 horas, se ter taxas altíssimas de colesterol faz mal, se contar calorias é algo errado, se o alimento X é super saudável para todos, se Amendoim é alergênico, minha resposta sempre será: tudo depende da sua individualidade biológica...

Vou explicar bem para não haver dúvidas:

Sobre carboidratos e insulina, sinais e sintomas evidenciam problemas: se você tem vontade de comer docescompulsão alimentar (dificuldades para controlar a quantidade de comida), exames alterados (Glicemia de jejum, Insulina de jejum, Cromo sérico, Magnésio eritrocitário, Hemoglobina glicada, Albumina glicada, glicosúria - eliminação de glicose na urina), muita fome + muita sede + muita urinavisão turva (embaçada)dificuldade de cicatrização, vertigem (tontura), sonolência pós-refeiçãotem excesso de gordura corporalnão pratica musculação diariamente, tem histórico de cistite (infecção urinária, ardência para urinar)há necessidade de cortar carboidratos, há evidências para tal ação. Se você não tem nenhum dos desequilíbrios, tirar carboidrato vai proporcionar quais benefícios? Não estou dizendo para se entupir de carboidrato, entenda: se você não está exagerando no consumo, porque lhe direi para diminuir, se você já está fazendo isso?

Ressalto que mesmo se tudo estiver bem, esse consumo deve ser de carboidratos de verdade, com baixo índice glicêmico, afinal de contas, será que as pessoas até 1900 e algumas décadas se entupiam de carboidratos como a maioria das pessoas fazem hoje? Não existia macarrão, arroz branco, trigo refinado e transgênico (cheio de glúten), biscoitos e toda essa enxurrada de carboidratos de alto índice glicêmico que se vê nos supermercados e qualquer padaria. Sempre foi Aipim, Batata-doce, Feijão, Lentilha, Ervilha, Grão-de-bico, Arroz integral, todos carboidratos com baixo índice glicêmico...

Se essa farra de carboidratos nunca tivesse iniciado, provavelmente você não estaria aí lendo esta postagem, porque não teria sofrido uma lavagem cerebral, assim, teria se alimentado muito melhor durante toda sua vida e teria menos gordura corporal... E com essa farra, totalmente inadequada para a espécie humana, como se espera um funcionamento perfeito do hormônio Insulina? Não há como, certo?

Se você já está há 5 horas sem comer e não sente absolutamente nenhuma vontade de comer, o estômago não está roncando, é obrigatório comer? Claro que não...

Se sua urina já sai transparente bebendo 1,3 litros de água diariamente, precisa forçar e beber 2 litros? Claro que não...

Se o colesterol total está muito acima do normal, segundo as recomendações sem evidências científicas das organizações de saúde, mas a Lipoproteína A e a Homocisteína estão baixas, bebida alcoólica e tabagismo não fazem parte dos hábitos, pratica-se atividade física, controla-se o estresse, a dieta tem elementos antioxidantes, existe algum problema? Claro que não...

Agora, se a situação atual é o contrário, a situação está muito complicada e os riscos são enormes...

Sobre contar calorias: se isso resolvesse o problema, obesidade não seria problema de saúde pública, era só ficar sem comer e passar 24h praticando atividade física. Você sabe que isto não funciona...

Por isso, tenho um método que traz muito resultado na minha prática profissional, dia após dia: defino a quantidade de proteína e gordura com grama de precisão. Ninguém reclama da praticidade e os resultados só melhoram as estatísticas deste método...

Resumindo: cada pessoa tem uma necessidade única, talvez você precise 100g de carboidratos por dia, ou pode ser que só precise da metade disso; talvez você precise de suplementação de probióticos + glutamina + ômega-3, ou pode ser que só probióticos resolvam o problema; talvez uma suplementação de nutrientes antioxidantes seja necessária além dos antioxidantes presentes na dieta, ou pode ser que só os presentes na dieta já surtem efeito; talvez você precise de 50g de fibra para seu intestino “funcionar” 2x/dia, ou pode ser que o dobro disso seja necessário; talvez sua necessidade de Magnésio seja 400mg, ou pode ser que precise de 600mg.


Você é único, questione tudo sobre isso e sempre pergunte ao profissional que lhe acompanha. Se ele não gostar de ser questionado, troque de profissional, seja onde você morar, em algum lugar por perto você encontrará alguém que lhe trate como qualquer ser humano merece ser tratado: individualmente, com doses e prescrições ajustadas, não com receitas prontas... 

3 comentários: