quinta-feira, 29 de outubro de 2015

A banalização no trabalho do nutricionista, quem planta colhe...

É, já faz um bom tempo que não posto aqui no blog... Quem sabe agora volto à postar com mais frequência... rsrs

Querem me ajudar com isso? Me enviem mensagens sobre o que desejam ler aqui no blog, use o formulário de contato aqui no canto direito da tela...

Então, ao assunto da postagem...



Se você vem acompanhando meu blog desde minhas postagens mais antigas, deve ter percebido que não tenho medo de me expressar, mesmo que seja xingado e esculachado...

Pois então, já devo ter citado também que a culpa de todos os nutricionistas não terem muito mais procura pelo seu trabalho está na sua própria falta de fome de conhecimento e na mesmice da sua prescrição... São "maria vai com as outras" ou "onde a vaca vai, o boi vai atrás"...

Entendo que são doutrinados nas cadeiras das faculdades à proceder deste ou daquele jeito, mas agir como o discípulo Tomé de vez em quando faz bem.
Ele só acreditava vendo, tocando, não conseguia crer sem presenciar...

Nutricionistas:

Se agissem como ele, já teriam descoberto que desde a decada de 70 há artigos científicos provando que não há obrigação de comer à cada 3 horas, que o intervalo entre as refeições não é tão importante...

Se agissem como ele, teriam questionado porque evitar gorduras (e chegariam aos artigos científicos de verdade, não epidemiológicos, mas sim com amostra randomizada para comparar se há alguma diferença), o que os levaria à descobrir que nunca foi a gordura a vilã da história...

SE...

Houvesse questionamento, o raciocínio e a natureza das precrições seriam muito semelhantes, e o resultado das dietas seriam muito bons.

Não haveria tanta controvérsia entre opiniões de profissionais. Bons utricionistas não se contrariam tanto se algo é bom ou ruim, geralmente concordariam em quase tudo 
e discutiriam apenas sobre dosagens...

Devido à mesmice nutricional propagada pelos próprios nutricionistas, tem comentários que ouço de clientes nas consultas que me fazem querer "grudar no pescoço" dos meus colegas nutricionistas...

Que comentários/perguntas são esses?

Posso mesmo treinar em jejum?
Não tenho que comer nada no pré-treino?
Não sou obrigado à tomar Whey Protein no pós-treino?
Não preciso comer à cada 3 horas?
Não preciso comer batata-doce com peito de frango?
Devo tomar Creatina apenas 1 mês sim, outro não, correto?
Não preciso de BCAA e Glutamina?
Não sinto fome ao acordar, preciso comer mesmo assim?
Não é bom tomar água morna com limão logo ao acordar?
Caseína é um suplemento que tem digestão e absorção bem lenta, então não é interessante tomar antes de dormir, para evitar o catabolismo muscular noturno,
bem como ajudar no fornecimento de aminoácidos para a síntese proteína (hipertrofia muscular)?
Não é bom ter uma dieta detox?
POsso comer Aveia? Mas não tem Glúten?

Percebo que o assunto dieta/alimentação/nutrição, quando sai da teoria pra prática, esbarra muito no ego do cliente, naquele "eu gosto, eu acho"...
Entendo que temos nossos desejos e preferimos alguns alimentos, mas não dá pra colocar isso em primeiro plano.

"Ah! Mas meu colega fez assim e deu certo..."
"Ah! Mas tal nutricionista esportivo super famoso falou que..."

Parando por aqui: alguém entre nós sabe tudo, é Deus, por acaso??? Quem sabe a onisciência está em ser famoso...

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Dieta detox... Pra que?????????


Isso me incomoda tanto, me irrita até... A receita clássica que faz parte disso é o famoso "suco verde", essa é uma "pérola", mas a ideia de focar em uma dieta detox por um período me parece ridícula, já que "inconscientemente" significa: "vá se intoxicando ao longo do tempo, depois basta seguir um plano de destoxificação"...

Precisamos ter uma alimentação com perfil/caráter destoxificante, não precisamos de uma dieta detox!!!

Não entendeu ainda????????????

Alguns exemplos:

Precisamos de manutenção preventiva no automóvel constantemente, para não precisarmos deixa-lo na oficina para reparar anos de uso sem manutenção preventiva!!

Precisamos limpar e ajeitar nossa casa constantemente, se não cuidar óbvio que com o passar do tempo precisará de uma bela faxina!!! Conselho: não deixe a casa ficar imunda, dificilmente terás que fazer uma faxina!!!

E essa dieta detox só é propagada porque alguns nutricionistas são doutrinados nas pós-graduações, principalmente em Nutrição Funcional, que por sinal também já cursei...

Resumindo: sua alimentação deve ser predominantemente destoxificante...

Assim como precisa ter um estilo de vida antioxidante, e não pró-oxidante!!!

Se você busca o melhor, digo: dane-se o nível das lipoproteínas ("colesterol"), preocupe-se com a oxidação, esse é o X da questão...

quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

Não seja obcecado pelo Glúten, uma reflexão: mocinho ou vilão?


Atualmente, Glúten é o centro das discussões quando o assunto é Nutrição...

Alguns o consideram o maior vilão já conhecido, outros o consideram um mocinho...



Fala sério, nem dá pra chamar de ciência o que fizeram para culpar o colesterol e os Ovos... Agora, sobre Glúten a situação é totalmente diferente...

Mas, afinal de contas, qual é minha opinião?

Vejamos...

O trigo de hoje é o mesmo do princípio? Lógico que não, o trigo industrial de hoje é transgênico, modificado pelo homem! Esse é o problema! Se você tem um sítio/fazenda (etc) que é da família desde o início do século passado e lá há trigo plantado, esse trigo não é transgênico, não é lotado de glúten e está longe de ser ruim como é o transgênico...

Nunca encontrei informações oficiais que me permitam comparar o teor de glúten por 100g de trigo industrial (transgênico) e não-transgênico (dos primórdios), então fica tudo na suposição... Porém, não creio que uma mudança nos genes modifique tão pouco a concentração de glúten no trigo, então vou chutar longe, aumentou de mais de 500% o teor de Glúten... Ora se antes 100g de trigo tinha 0,3g de glúten, agora tem 5g (HIPÓTESE) . Pouco?

O problema é que a pessoas não se contentam em comer um só pão no dia (no desjejum, por exemplo), no meio da manhã elas "beliscam" umas torradas, no almoço comem macarrão, no meio da tarde é novamente pão/torrada, e à noite jantam macarrão novamente, ou, porque jantar engorda (kkk), vão para o desgraçado do pão (ou torrada de novo)... Comeu trigo o dia inteiro!

Esse não é o padrão alimentar de uma grande parte das pessoas??? Não é evidente um exagero no consumo de trigo (transgênico e cheio de glúten)?

Não vejo problemas em comer algum derivado de trigo de vez em quando, só que esse "de vez em quando" não pode ser toda hora, em todas as refeições... Ter trigo na dieta não é uma coisa, a dieta ser baseada em trigo é outra coisa!

Se a pessoas se contentasse em comer uma só vez no dia, provavelmente não faria mal...

Para quem tem mania de procurar brechas no posicionamento de algum profissional, digo, e grave bem isso: esta postagem é para refletir, em algum momento você leu eu dizendo que trigo transgênico é um bom alimento? Não, né? É bem típico esse pensamento, por exemplo, se alguém me ver saborear um sorvete em um dia de muito calor, já vai dizer que tomo sorvetes todos os dias... Se me ver na pizzaria em um dia, já vai dizer que como porcaria sempre... Fala sério, bom senso zero essa pessoa tem...

Milhares de pessoas consome derivados de trigo e leite diariamente por décadas e décadas e muitos destes tem menos problemas de saúde do que quem não come... Oras, se estes já não tem, comendo com pouca frequência, em pequena quantidade, será que a maioria das pessoas tem reação??? Só se já saturou o corpo, mas é outro contexto já...

Porque digo isso??? Porque a dieta paleolítica virou uma religião, e se alguém diz que come um pão de vez em quando, já é crucificada, coitada... Pensando à longo prazo, diminuir todas as quantidades e frequência de consumo já é um grande avanço, melhor isso do que desistir em um mês porque não resiste à tentação...

Mas caso não tenha lido um artigo científico sequer sobre glúten tá na hora, hein???

Pesquise sobre Zoonulina, tigh-junctions (junções entre as células da mucosa intestinal, que quando aberta surge a expressão hiper-permeabilidade intestinal)...

Pelo menos, entenda o quão agressivo o glúten é, para a maioria das pessoas...


Finalizando, veja o quão sacana a indústria é, não coloca farinha refinada mas mas acrescenta glúten... Sem falar na quantidade de açúcar e mel que vai no produto, claro que como a maioria das pessoas não entendem, acabam comprando... 


O resultado final do produto acima é este, repare na "fofura" do pão, indicativo de bastante glúten:


video